Financiamento coletivo, você conhece?

Olá goorizada, como estão? Espero que esteja indo tudo bem com vocês.

Neste artigo vamos falar sobre financiamento coletivo. Vamos entender o que é, para que serve e como funciona esse mecanismo de levantamento de fundos.

Você provavelmente já teve (ou conhece alguém que já teve) alguma ideia genial que nunca pôs em prática por falta de recursos, certo? Isso por que muitas vezes idealizar uma ideia e fazer com que ela se concretize são tarefas muito distintas. Essa é uma das razões pelas quais tem se falado tanto em financiamento coletivo nos últimos anos.

Mas, afinal o que é financiamento coletivo?

Para responder essa pergunta vamos parafrasear a Lisa Andrade em um artigo lá de 2015:

Financiamento coletivo é quando várias pessoas se identificam com o seu projeto e resolvem contribuir financeiramente para que ele saia do papel.

Você provavelmente pensou que se trata de algum tipo de vaquinha, certo? E é isso mesmo. Financiamento coletivo nada mais é que uma vaquinha para tirar um projeto do mundo das ideias.

Como funciona?

Antes de saber como funciona um financiamento coletivo é importante saber que qualquer pessoa com qualquer projeto pode iniciar um financiamento coletivo.

Hoje existem diversas plataformas virtuais para organizar e alavancar esse tipo de colaboração. No Brasil as mais famosas são Kicante e Catarse. No exterior a mais conhecida é sem dúvida o Kickstarter.

Através de qualquer uma dessas plataformas o idealizador pode expor seu projeto e pedir uma contribuição. Em troca desta contribuição o idealizador pode oferecer recompensas.

Por exemplo

João quer fazer um foguete para ir à Lua. Ele decide que a melhor forma de financiar este projeto é através de um Financiamento Coletivo. João expõe sua ideia e pede colaboração de valores variados. Para cada valor ele oferece uma recompensa relacionada a seu projeto. Para quem doar R$ 10,00 João promete uma pequena pedra da lua. Para quem doar R$ 50,00 ele promete um pedregulho e um pedaço da nave que utilizará. E ele faz um apelo ainda maior: para quem doar R$ 1.000,00. João promete um lugar na nave para que esta pessoa possa acompanhá-lo.

Claro que o projeto de João é muito ambicioso. Mas vamos lá, ele é fictício. Porém como João existem muitas pessoas que querem realizar uma peça de teatro, o lançamento de um livro, um curta metragem, um dispositivo inovador para deficientes, ou até mesmo um jogo de tabuleiro.

É seguro?

Sim, é seguro. Quando um idealizador expõe sua ideia ele também coloca a meta financeira que deseja atingir. Em alguns casos quando a meta não é atingida a própria plataforma que o idealizador utilizou se encarrega de devolver o dinheiro para os apoiadores. Em campanhas de 'tudo ou nada' o idealizador só recebe o dinheiro se a meta financeira for atingida. Deste modo se o projeto não tem como ser financiado os apoiadores não perdem nada.

Se você ainda ficou com alguma dúvida sobre o assunto não exite em nos mandar uma mensagem pelo link de contato. Por aqui mesmo você terá mais informações sobre Financiamento Coletivo.

Leia mais um pouco

Aqui alguns links externos muito interessantes sobre o assunto:

O bom e velho jogo de tabuleiro, e não o digital, está atraindo a maior parte do dinheiro no Kickstarter

O mercado de board games no mundo (com valores)

Por que 2017 foi o melhor ano para os jogos de tabuleiro modernos?